sexta-feira, 22 de setembro de 2017

A importância da ativação do Power House



Quando falamos de método Pilates, é preciso que ensinemos logo nas aulas iniciais aos nossos alunos/pacientes a importância de ativar o chamado “Power House”.

Em resumo:

Joseph Pilates denominou o Centro de Força (“Power House”) que existe em nosso corpo, o qual, segundo ele, é o local de origem dos nossos movimentos. Esses músculos devem manter-se em contração isométrica durante os exercícios de Pilates.

O Power House é composto dos seguintes músculos:

* Parede abdominal anterior (músculos flexores) – reto abdominal, oblíquos externos e internos e o transverso abdominal;
* Parede abdominal posterior (músculos extensores) – eretores da coluna, transverso espinhais e quadrado lombar;
* Extensores do quadril – glúteo máximo, isquiotibiais e cabeça posterior do adutor magno;
* Flexores do quadril – iliopsoas, reto femoral, tensor da fáscia lata e adutores da região anterior da coxa;
* Assoalho pélvico (períneo) – levantador do ânus, coccígeo, perineais transversos profundos.


Sabendo disso, devemos ensiná-los como ativar estes músculos. Mas lembre-se: é muita informação para ensinar de uma vez só! O melhor a fazer é utilizar em torno de quatro aulas para que ele consiga absorver bem esse conhecimento. A partir do momento que estiver internalizado, é só dar o comando e ele o executará com maior consciência.

Outro aspecto importante a ser visto é fazer com que o aluno faça uma contração leve dos músculos abdominais inferiores somados à co-ativação do assoalho pélvico, aplicando uma contração voluntária de 20% a 30% da contração máxima (Sapsford 2001, Queiroz 2010) em conjunto a contração do transverso abdominal. Com essas contrações, ajudaremos nossos alunos a melhorar sintomas como a dor lombar, por exemplo.

A ação do Assoalho Pélvico também foi descrita por Joseph Pilates como essencial durante seus exercícios. Ele ensinava que o Power House deveria ser ativado através de uma contração abdominal extrema. No entanto, em 2001, Sapsford verificou que essa contração extrema causa uma pressão excessiva sobre o assoalho pélvico podendo, em alguns casos, provocar o surgimento de incontinência urinária por esforço.

Deve-se somar a isto todos os outros princípios que regem o método, fazendo com que os movimentos tenham um melhor refinamento durante a execução dos exercícios propostos nas aulas. Quanto mais aulas ele fizer, melhor ele ficará e, o melhor de tudo, indicará você para seus amigos e conhecidos.

Através de uma conscientização deste princípio, o aluno terá um melhor rendimento e, em consequência, melhores resultados do método.

Comece já a aplicar em seus alunos e veja os resultados.



Fonte: Blog Pilates

Entenda porquê as pessoas obesas devem fazer Pilates



Quem sofre com a obesidade sofre também com uma série de outras doenças como diabetes, doenças cardíacas e dores na coluna, devido ao sobrepeso. 
Contudo, o Pilates vem para contribuir de maneira significativa na busca pela melhor qualidade de vida daqueles que tentam, de alguma forma, resolver as patologias que a doença acarreta. 
Segundo a Fisioterapeuta Débora Trindade, do Equlibrium Studio de Pilates, o Pilates está relacionado principalmente com a má postura causada pela obesidade, patologias da coluna e dores articulares relacionadas ao excesso do peso. Através dos exercícios, é possível corrigir a posição da cabeça que, geralmente, está mais voltada para frente e também a 'corcunda', que é típica em caso de sobrepeso.
“Estes exercícios ajudam a fortalecer os músculos, aumentar a flexibilidade do corpo e a diminuir a quantidade de gordura no interior das artérias”, explica Débora.
A Fisioterapeuta ressalta que as aulas de Pilates podem ser realizadas 1 ou 2 vezes por semana, no mínimo, e sempre com orientação profissional.
Os exercícios mais recomendados para os iniciantes com sobrepeso são os realizados no chão, com auxílio de elásticos e bolas de diversos tamanhos que não sobrecarregam os músculos e articulações e respeitam a capacidade e força da pessoa, podendo evoluir conforme seu condicionamento físico. 
Com a atividade o corpo torna-se mais tonificado, reorganiza a postura, estimula a circulação, melhora o condicionamento físico geral, a flexibilidade e a mobilidade articular, além de ganhar resistência de força física e mental. 
Apesar de não ser uma atividade que tenha um alto gasto calórico, o Pilates também ajuda a emagrecer e mobilizar a gordura localizada da barriga, melhorando também o condicionamento físico, promovendo o bem-estar.
Mas o ideal é que ele seja sempre praticado em parceria com outra atividade física. Praticar Pilates é muito mais do que fazer exercícios no chão, com aparelhos ou com a bola. A prática requer concentração, foco e disciplina, mas em troca, promove uma vida mais saudável, livre do sedentarismo e estimulante para o corpo e mente.


Abaixo listamos alguns dos benefícios do Pilates para os obesos. Confira! 


  • Prevenção de lesões
  • Fortalecimento muscular, 
  • Diminuição do colesterol “ruim” (LDL)
  • Diminuição dos triglicerídeos 
  • Estabilidade articular
  • Fortalecimento dos músculos centrais do corpo (CORE)
  • Alinhamento postural
  • Diminuição de dores e lesões
  • Melhora da flexibilidade
  • Preparo do indivíduo para outras atividades (caminhada, corrida, ginástica, entre outras)
  • Combate à depressão
  • Melhora da qualidade de vida 
  • Estimulação à integração social.


Fonte: Equilibrium - Centro Terapêutico da Obesidade

Quiropraxia: O que é? Quais os benefícios? Como funciona a sessão?



O método da quiropraxia pode ser aplicado em qualquer pessoa, desde recém-nascidos, até aqueles em idade avançada. Os profissionais aptos a aplicar estas técnicas manuais, cuidam de todo o sistema neuro-esquelético. No entanto, os principais problemas tratados pela quiropraxia referem-se as dores lombares, hérnias de disco, dores ciáticas, tensão muscular, restrições a movimentos, dores de cabeça e no pescoço, dores e problemas nas principais articulações dos ombros, tornozelos, cotovelos, joelhos, punhos que podem surgir de repente causados pela sistemática repetição de movimentos contínuos ou por meio de posturas erradas.

Um dos diferenciais da quiropraxia é provocar no paciente o autoconhecimento do próprio corpo e inserir hábitos de bem-estar e de qualidade de vida para que, futuramente, o paciente não mais volte a sofrer dos males antigos. Por exemplo, o paciente possui hábitos de má postura corporal ou de não praticar nenhum exercício físico laboral durante o dia a dia. As principais posturas consideradas inadequadas são:

– sentar de forma torta com a coluna inclinada;

– digitar consistentemente e não alongar as mãos;

– permanecer muito tempo sentado ou em pé;

– não ter o hábito de alongar-se.

A partir das práticas de quiropraxia, o paciente vai começa a inserir novos e bons hábito em sua rotina diária e por consequência terá mais qualidade de vida. Portanto, o método não serve apenas para aqueles que já estão doentes ou sofrendo com dores intermináveis, mas também para aqueles que desejam garantir boa saúde do corpo, como maneira preventiva.

Como surgiu a quiropraxia

A quiropraxia ou cura por meio de técnicas manuais foi descoberta e iniciada pelo médico norte-americano Daniel David Palmer, em 1895, nos Estados Unidos. No Brasil, a técnica somente começou a ser difundida a partir de 1992, por meio da criação da Associação Brasileira de Quiropraxia. Estima-se que existam, atualmente, cerca de 90 mil profissionais desta área em todo o mundo.

A quiropraxia é uma especialização da fisioterapia, portanto o profissional deve ser fisioterapeuta.

Quais os benefícios da quiropraxia

Os benefícios dependem de que área o paciente vai tratar. Os pacientes que procuram a quiropraxia precisam tratar dores de articulações, hérnias de disco, complicações lombares, dores no pescoço e dores de cabeça. Pessoas que ficam sentadas diariamente e por muito tempo, realizando as mesmas funções, como taxistas, atendentes de telemarketing, entre outras profissões.

O não tratamento dessas dores podem adquirir lesões em tendões e articulações lombares. Portanto é fundamental encontrar a causa destas dores e trata-las faz parte desta prática aplicada pela quiropraxia. O diagnóstico começa por analisar a postura (hábitos, maneira de sentar, etc) do paciente, passa por testes ortopédicos e também neurológicos, e pelo contato (toque) nas áreas afetadas e doloridas. Exames laboratoriais, tais como tomografias, ressonância magnética ou raio-x também podem ser necessários para fechar um diagnóstico acerca da causa das dores e de como a quiropraxia deverá ser aplicada.

Como funciona a sessão de quiropraxia

As sessões ajustam a musculatura e restauram a movimentação correta dos músculos. Quando realizada adequadamente, por um profissional capacitado, a técnica é indolor e sem contraindicações e consegue trazer alívio e conforto ao paciente. Porém, em pacientes com doenças em estágio avançado, hérnias de disco problemáticas, a aplicação da quiropraxia pode causar certo desconforto, certo incômodo.

Um pouco de cansaço e sensação muscular de rigidez, logo após as sessões de quiropraxia, são normais e não representam problema algum. Além de tratar problemas com a coluna vertebral e os nervos que fazem conexão com ela, os pacientes que buscam a quiropraxia também tratam de distúrbios relacionados a irritabilidade, stress, tensão diária, entre outros.

Para determinar a quantidade de sessões que o paciente necessita, o fisioterapeuta avalia todo o quadro clínico, inclusive de que forma ele vai reagir com as primeiras sessões. 

Agende já a sua sessão pelo telefone 981818384!!

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Dez mitos e verdades sobre a drenagem linfática



Massagem ajuda na melhora da celulite, mas não emagrece
   
RIO - Não faltam benefícios na drenagem linfática, mas não faltam também dúvidas sobre o procedimento, que estimula o sistema linfático e ajuda na eliminação de toxinas e líquidos que o corpo acaba retendo no dia a dia. Mas ela emagrece, ajuda na celulite e TPM? Diante das perguntas que costumam aparecer sobre o assunto, listamos os mitos e verdade sobre um dos tipos mais populares de massagem do mercado.

Drenagem ajuda a diminuir celulite

Verdade. Uma das causas da celulite é a retenção de líquidos, e é nisso que a drenagem ajuda.

- A retenção não permite a oxigenação do tecido, dando origem a nódulos. No entanto, a drenagem funciona de maneira mais efetiva no começo do problema- explica Daniele Correa, fisioterapeuta dermatofuncional e supervisora do Centro de Tratamento Corporal da Clínica Paula Bellotti, no Rio.

Drenagem emagrece

Mentira. Esse tipo de massagem, ajuda, na verdade na eliminação de líquidos retidos e na liberação de toxinas, não havendo perda de gordura.

- Para de fato perder gordura e emagrecer, é preciso conjugá-la com uma série de fatores que compõem uma rotina saudável, como alimentação balanceada, ingestão adequada de água e exercícios - diz Vanessa Villela, fisioterapeuta da clínica Skinlux, no Rio.

Quem tem problema venoso não pode fazer

Verdade. Quem tem trombose, por exemplo, não deve realizar o procedimento. Mas é indicado sempre consultar um médico antes de qualquer decisão.

Beber água antes da drenagem potencializa os efeitos da massagem

Verdade. Antes e depois da massagem, a água ajuda a melhorar a retenção de líquido e eliminar toxinas. É mito achar que quem sofre com inchaço não deve beber ingerir tanta água. Água é importante sempre, independente da condição.

Se a drenagem for bem-feita, imediatamente após o procedimento você vai ao banheiro urinar

Mito. Segundo Daniele, depende da quantidade de água que a pessoa retém, portanto, isso não é regra.

- Algumas pessoas sentem vontade de urinar durante ou no final da massagem. Mas isso não pode ser aplicada a todos - diz Daniele.

Grávidas não podem fazer drenagem

Mito. Elas podem e devem, sim, fazer o procedimento, uma vez que na gravidez a mulher retém muito líquido, principalmente nos últimos três meses, diz Vanessa.

Drenagem precisa ser feita com creme ou óleo

Mito. O uso de creme ou óleo vai depender do profissional ou do método utilizado, não sendo uma obrigação.

- Para pacientes em pós-operatório, cremes e óleos costumam deixar a massagem mais cômoda para a pessoa - diz Daniele.

Drenagem com aparelho é melhor que drenagem manual

Mito. As duas têm bons resultados, pois ativam a circulação sanguínea, melhorando a oxigenação dos tecidos, mas a manual é a mais recomendada.

- Na manual, o profissional consegue observar com mais precisão as regiões com mais nódulos, inchaço e edemas e, assim, trabalhar com mais precisão - explica Daniele.


Drenagem mal-feita pode dar íngua

Mito. A íngua só aparece por causa de processos inflamatórios ou infecciosos nos gânglios, não tendo nada a ver com um procedimento anterior.

Drenagem ajuda a melhorar sintomas de TPM

Verdade. Sim, sim, sim! Drenagem pode fazer milagres para a tensão pré-menstrual.

- Ela atua na liberação de líquidos, combatendo o inchaço, que é um dos sintomas da TPM, além de ajudar no controle da ansiedade, por ter um efeito relaxante - diz Vanessa.

Fonte: O Globo

Agende agora mesmo uma sessão pelo telefone 981818384!!


Pilates para obesos: a eficácia do Método comprovado cientificamente



O Pilates, criado por Joseph Hubertus Pilates é um método que apresenta grande diversidade de movimentos, com exercícios que respeitam a mobilidade articular, sendo vários deles em posição deitada e sentada, minimizando assim sobrecargas articulares, além de apresentar a característica de não chegar à exaustão.

A partir daí veio o meu interesse em aplicar o Método Pilates para obesos e para todo o público que estava acima do peso, com o intuito de emagrecimento ou busca de melhor qualidade de vida, e que apresentava problemas em se engajar em atividades físicas por queixas tais como: dor nas articulações como joelho, tornozelo e quadril; modalidade de exercício monótono como a caminhada e a bicicleta ou exercícios extenuantes.


Após realizar uma profunda busca em artigos científicos, relacionados à composição corporal e Pilates, verifiquei que havia poucos artigos publicados com o assunto e com algumas falhas metodológicas nos estudos analisados, como por exemplo: padronização limitada em técnicas de medição, informação deficiente dos exercícios aplicados,insuficientes ou nenhum controle do estado nutricional, e as qualificações do instrutor inconsistentes (Aladro Gonzalvo, 2011).
Foram selecionados 34 voluntários com sobrepeso ou obesidade (IMC acima de 25) e divididos em dois grupos: 
Controle – que não praticou nenhum tipo de atividade, e outro grupo experimental que praticou Pilates durante 8 semanas, fazendo 3 aulas na semana com duração de 1 hora cada sessão. Antes e após as 8 semanas, os dois grupos de voluntários passaram por avaliações no laboratório de Fisiologia do Exercício do COTP de São Paulo (Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa,) assim como preencheram um recordatório alimentar de três dias.

Avaliações

Composição Corporal: DXA (padrão ouro para avaliar massa magra, massa gorda e massa óssea); circunferência de cintura e quadril; relação cintura-quadril.
Força: Força isométrica para Extensores de tronco (teste de Sorensen); Força de preensão manual (dinamômetro) e Resistência Abdominal .
Testes Funcionais: Sentar e Levantar, Subir e Descer escadas (tempo para realizar marcado em segundos).
Dados preliminares do projeto com o título: “Pilates Training Improves Body Composition, Muscular Endurance and Functional Tests Performance of Overweight/Obese Adults” já foram apresentados no Congresso Anual da ACSM (American College of Sports Medicine) em maio de 2015.
Esta conferência científica é a mais abrangente do mundo, onde participantes de mais de 70 disciplinas se reúnem para compartilhar novas técnicas clínicas, pesquisas de ponta em medicina esportiva, ciência do exercício, atividade física e saúde pública.

Resultados da Pesquisa:

Houve redução expressiva de massa gorda, circunferência da cintura e do quadril, e aumento de massa magra no grupo Pilates após as 8 semanas de treinamento.

A relação cintura / quadril não se alterou em nenhum dos grupos. Nos testes de preensão manual, extensores do tronco, e resistência abdominal houve aumento significativo em relação aos valores basais no grupo Pilates.

O grupo que praticou o Pilates para obesos também gastou menos tempo para completar ambos os testes funcionais após o protocolo de estudo. Não houve variação das medidas avaliadas antes e após as 8 semanas no grupo Controle.

Conclusão

O treinamento de Pilates pode ser considerado um método alternativo para melhorar a composição corporal, resistência muscular e tarefas funcionais.
Com os resultados deste estudo voltados à contribuição da pesquisa científica, podemos oferecer aos profissionais e praticantes do método Pilates uma nova visão quanto aos benefícios do Pilates para obesos.
Esse foi só um trabalho Piloto com resultados positivos e já publicados. A pesquisa toda consistiu em comparar dois tipos de treinamento – Pilates X Caminhada e com um Grupo Controle sem treinamento. Ela está em processo de análise para publicação em revistas científicas internacionais. Logo que for aceito, o Blog Pilates terá acesso.



Fonte: Blog Pilates 



segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Mulheres de 50 anos se beneficiando do método Pilates nas disfunções do assoalho pélvico



Um dos marcos mais relevantes na vida de uma mulher é a fase do climatérico até a menopausa. A transformação é bastante importante e dependendo da forma como será encarada e cuidada trará consequência determinante para a qualidade no resto de sua vida.


E para isso, o primeiro passo é a informação. O conhecimento sobre seu corpo e como ele funciona, quais as disfunções e as modificações que esta etapa pode influenciar na sua saúde é de fundamental importância para o bem-estar.


As modificações atípicas de forma e freqüência das necessidades fisiológicas(urinária, defecação e relação sexual), devem ser observadas com cuidado e ter uma atenção especial.


Assoalho Pélvico

Os músculos do Assoalho Pélvico são compostos pelos músculos Cocígeo, Illococíneo, Pubococcígeo, Puboretal.
Este é o único grupo de musculatura transversal do corpo humano que suporta carga, sendo responsável por diversas funções: suporte dos órgãos abdominais e pélvicos, manutenção da continência urinária e fecal, auxílio na pressão intra-abdominal, na respiração e na estabilização do tronco.

Disfunções

As alterações uroginecológicas causam muitos danos à qualidade de vida das pessoas afetadas, trazendo problemas sócio-pessoal, diminuindo a auto-estima, podendo levar ao isolamento pessoal e até a depressão.
Conforme Fábio Borges, a incontinência urinária é o distúrbio mais evidente, assim como seqüelas de cirurgias plásticas genitais, incontinência fecal e gasosa, e como disfunções sexuais temos, anorgasmia, vaginismo, dispaurenia, dismenorreia, e também endometriose, tensão pré-menstrual (TPM) entre outras.
A predisposição genética, patologias orgânica e psicológica, obesidade, tabagismo, atividades de alto impacto, são fatores relacionados às disfunções. Pode ocorrer nos homens e nas mulheres, porém com uma incidência muito maior nas mulheres em 70%, em virtude de causas como gravidez, parto e desequilíbrios hormonais no pré e pós-menopausa.

Treinamento

Este programa de treinamento não tem a intenção de reabilitar disfunções graves de MAPs, porém pode ser utilizado como coadjuvante no tratamento, na prevenção e promoção na saúde da mulher.

Para dar inicio ao treinamento é necessário esvaziar completamente a bexiga.
Os exercícios de abdução e adução dos mmii serão realizados com associação da contração dos períneos e ativação do power-house. 
Utilizaremos os seguintes acessórios: Ring-Flex, Bola e Bastão.

Em postura ortostática, preparar o movimento com inspiração e na realização expirar estendendo as pernas e fechando o Ring-flex(aduzindo as pernas), contraindo simultaneamente o cóccix, púbis e os ísquios.


Em postura sentada na bola, preparar o movimento com inspiração e na realização expirar fechando o Ring-flex (aduzindo as pernas), contraindo simultâneamente o cocix, púbis e os ísquios.


1º tempo: Em postura sentada na bola, preparar o movimento com inspiração e na realização expirar fechando o Ring-flex (aduzindo as pernas), inclinando o tronco para trás contraindo simultaneamente o esfíncter anal. 


2º tempo: Em postura sentada na bola, preparar o movimento com inspiração e na realização expirar fechando o Ring-flex (aduzindo as pernas), flexionando o tronco para frente contraindo simultaneamente o esfíncter vaginal. 


3º tempo: Em postura sentada na bola, preparar o movimento com inspiração e na realização expirar fechando o Ring-flex (aduzindo as pernas), flexionando o tronco para o lado esquerdo e depois direito contraindo simultaneamente o esfíncter vaginal. 


Em postura sentada na bola, preparar o movimento com inspiração e na realização expirar fechando o Ring-flex (aduzindo as pernas), flexionando a báscula para o lado esquerdo e depois direito contraindo simultaneamente o esfíncter vaginal. 


Em postura deitada no Cadillac com bola sob os pés, preparar o movimento com inspiração e na realização expirar fechando o Ring-flex (aduzindo as pernas), elevando a pelve em movimento de ponte, contraindo simultaneamente o esfíncter vaginal, urinário e anal.


Em postura sentada na cadeira, preparar o movimento com inspiração e na realização expirar fechando o Ring-flex (aduzindo as pernas), contraindo simultaneamente o coccix, púbis e os ísquios.


Fonte: Revista Pilates



PILATES NO TRATAMENTO DE PROBLEMAS EMOCIONAIS


Recentemente o Pilates tem sido uma das modalidades de atividade física mais procurada, mais indicada e mais praticada para diversos objetivos inclusive para problemas emocionais.

Além disso o Pilates é Indicado também para pessoas de qualquer idade e de ambos os sexos, oferecendo inúmeros benefícios desde força, flexibilidade à melhora da respiração e da postura.

O Pilates tem sido uma das atividades mais recomendadas pelos médicos, uma vez que a modalidade seja adequada para pessoas idosas, grávidas, pessoas que possuem distúrbios na coluna ou mesmo pacientes pós-cirúrgicos.

Mas existem benefícios além de físicos com a prática que envolvem muito mais que o corpo, acalmando a mente e alterando os níveis de serotonina no cérebro, dessa forma atuando também nos problemas emocionais.

O que causa os problemas emocionais

Existem diversas situações que facilitam o desenvolvimento dos problemas emocionais como depressão, ansiedade e estresse. As pessoas mais afetadas são as que sofrem situações como:

Desgaste profissional e carga horária de trabalho exagerada: este é um dos problemas emocionais que afetam, principalmente, pessoas que trabalham com o público como professores, vendedores e profissionais de saúde.

Porém, estudantes e desempregados também podem sofrer com estes problemas emocionais.

Trauma na infância ou após acontecimentos marcantes: este problema emocional pode ser gerado por conflitos de família ou outros tipos de situações que podem deixar a pessoa com medo e desmotivada para seguir em frente.

Situações de violência psicológica e de desmotivação: esse é um dos problemas emocionais mais comuns que acontecem nos casos de violência doméstica e bullying.

Muita ansiedade e tristeza: normalmente ocorre em pessoas que não compartilham ou conversam sobre suas dificuldades, acarretando esses problemas emocionais.

Dentre um dos maiores problemas emocionais podemos destacar principalmente a ansiedade e a depressão que ocorrem devido à rotina agitada e outras questões como as citadas acima.

Por isso, quando uma pessoa que não procura tratamento para estes problemas emocionais (por dificuldade em buscar ajuda ou por achar que é uma situação normal), pode agravar os sintomas ou causar doenças físicas.

Pilates para pessoas com distúrbios de ansiedade

A ansiedade é um dos problemas emocionais que causam sensação ou sentimento decorrente da excessiva excitação do Sistema Nervoso Central, consequente à interpretação de uma situação de estresse.

Desta forma a pessoa sempre se encontra em um estado de tensão e a ansiedade acaba interrompendo a respiração correta como uma forma de defesa, ocasionando um bloqueio do músculo diafragma.

O Pilates, assim como qualquer exercício físico orientado por um profissional, pode auxiliar no tratamento da ansiedade.

O Método Pilates libera substâncias prazerosas em nosso cérebro, que auxiliam para o bem-estar.

Além disso, o Método ajuda a pessoa a se manter no “aqui e agora” através do foco e concentração nos exercícios, representando uma distração para os pensamentos ansiosos.

O Pilates também direciona a atenção para a respiração, fazendo com que o indivíduo respire melhor, mais calmamente e profundamente, alcançando o relaxamento.

Um dos grandes benefícios do Pilates é o Controle emocional, pois, uma vez que o Pilates trabalhe tanto a mente como o corpo, o ser humano garante um grande alívio de tensões, redução do nível de estresse, redução da ansiedade e melhora do humor.

Outro benefício e também princípio básico do Pilates é a respiração, pois os exercícios são realizados sempre com atenção, promovendo um aprendizado sobre como respirar corretamente e como utilizá-la como um modo de controle da força.

A ansiedade é um dos problemas emocionais que causa um bloqueio direto na couraça diafragmática e, um diafragma inibido afeta outras regiões do corpo já que ele está conectado à coluna, à musculatura abdominal, órgãos internos, nervos, veias e artérias.

Como o Pilates trabalha a respiração correta, ele mobiliza esta região, na medida em que a respiração é solicitada durante o movimento, assim a respiração profunda e completa começa a ser realizada o tempo todo e não só durante a prática de Pilates, diminuindo então a ansiedade.

Pilates para pessoas com depressão

Segundo a Organização Mundial de Saúde, a depressão é um dos mais sérios problemas emocionais e de saúde pública no século XXI.

No mundo, a depressão afeta aproximadamente 121 milhões de pessoas e nas Américas, já constitui a primeira causa de incapacidade, superando até as enfermidades cardiovasculares.

Estudos da Faculdade de Medicina de Harvard, têm demonstrado que exercício físico e métodos como Pilates podem representar um meio eficaz e natural de regular o funcionamento do cérebro de forma completa, contribuindo para combater alguns problemas emocionais, como é o caso da depressão.

O exercício físico melhora as conexões do cérebro e regula todos os neurotransmissores (substâncias químicas que permitem que o impulso nervoso passe de um neurônio a outro), ajustando a química cerebral como um todo.

Além disso, os exercícios podem influenciar favoravelmente a função cognitivo, melhorando o aprendizado, a memória e a qualidade do sono, além disso, estes movimentos podem neutralizar o declínio mental que vem com a idade e facilitar a recuperação funcional de uma lesão cerebral.

O Pilates pode ser usado de duas formas: como medida preventiva,  ou como medida corretiva. A medida preventiva do Pilates atua como proteção contra o desenvolvimento de sintomas depressivos, já a medida corretiva auxilia pessoas com depressão através de mecanismos psicológicos (distração dos estímulos estressores, maior controle sobre o corpo e a sua vida, maior interação social e convívio com outras pessoas) e/ou biológicos (ligados ao efeito das endorfinas).

Os maiores benefícios do Pilates encontrados para as pessoas com depressão são: diminuição da insônia e da tensão, bem-estar emocional, imagem corporal positiva, aumento da positividade e autocontrole psicológico, melhora do humor, interação social positiva, entre outros.

Ainda que não se possa prescrever o exercício físico de maneira geral e, especialmente, o método Pilates no combate à depressão, alguns de seus sintomas podem ser amenizados com sua prática.

Dentre outros benefícios do Pilates para problemas emocionais estão:

  • Melhora do autoconceito, a auto-imagem e a autoestima;
  • Melhora da sensação de bem-estar;
  • Melhora do humor;
  • Diminuição dos estados de tensão;
  • Melhora do vigor físico e da disposição;
  • Ganho de consciência corporal;
  • Melhora da capacidade respiratória;
  • Redução do estresse;
  • Aumento da capacidade de relaxamento.

Desta forma, podemos dizer que o Pilates é um grande beneficiador quado o assunto é problemas emocionais.

Conclusão

Por ser extremamente estudioso de práticas corporais do ocidente e do oriente, da natureza e dos animais, Joseph criou um método que contempla tanto o vigor do treinamento, como o controle da mente sobre o corpo que se faz presente durante a prática.

Além de tudo, foi exemplo vivo dos efeitos de seu treinamento na aquisição e na manutenção da saúde do corpo, da mente e do espírito, criando sem dúvida um dos métodos mais completos que já existiu atuando na mente, corpo e também em nível emocional.

Como disse o filósofo Platão (427-347 aC): “A falta de atividade destrói a boa condição de cada ser humano, enquanto o movimento e o exercício físico metódico o salva e o preserva”.

Sendo assim, para a complementação de uma boa saúde tanto física como mental, pratique Pilates aliado sempre a outros tratamentos como psicoterapia e medicamentos indicados pelo médico psiquiatra para cada caso se necessário.


domingo, 17 de setembro de 2017

PILATES NO TRATAMENTO DA LOMBALGIA: ENTENDA DE QUE FORMA O MÉTODO ATUA NESSA DOR



Hoje em dia, milhares de pessoas sofrem por dores na coluna, onde em algumas vezes, essa dor pode acometer a lombar, sendo chamada de lombalgia.

A lombalgia pode acometer tanto as pessoas idosas, quanto pessoas mais novas independentemente se forem crianças ou adolescentes, comprometendo a saúde do mesmo.

Quando uma pessoa possui lombalgia, ela costuma sentir muita dor, o que pode atrapalhar muito o seu desempenho diário.

Além disso, caso não tratada, a lombalgia pode piorar causando outros possíveis problemas na coluna.

Porém, o que nem todos sabem é que o Pilates pode ajudar no tratamento das lombalgias por ser um Método que trabalha todo o corpo garantindo reabilitação e outros diversos benefícios.

Sendo assim, você irá acompanhar agora o que é lombalgia, os tipos que podem acometer o corpo, quais as causas desta dor e como o Pilates atua no tratamento da mesma. Confira a seguir!

O que é lombalgia

A região lombar caracteriza-se como a parte mais baixa da coluna vertebral, abrigando a região do quadril e Cóccix.

A lombalgia então é o nome dado para a dor localizada na região lombar que se encontra na parte mais baixa da coluna.

Sendo assim, vale frisar também que a lombalgia não é uma doença e sim um sintoma.

Estima-se que 90% da população brasileira tem ou já teve algum caso de lombalgia durante a vida, sendo assim, pode-se dizer que ela é muito comum entre os seres humanos.

Quando a lombalgia acomete o corpo, o ser humano sente dores que podem ser ou não associadas com dores ciáticas, além disso, a dor causada por esta patologia pode irradiar para o glúteo, coxa, perna e até mesmo para o pé dificultando a mobilidade do indivíduo.

As dores da lombalgia podem variar de pequenos desconfortos até queimações mais fortes na região que prejudicam o indivíduo deixando-o “travado”.

Quando esta dor “trava” uma pessoa, ela fica impossibilitada de abaixar-se, caminhar e até mesmo ficar em pé.

Tipos de lombalgias

Quando uma pessoa sofre de lombalgia, ela pode ser acometida de duas formas podendo ser elas: aguda, crônica e até mesmo ocupacional:

Lombalgia aguda: este tipo de lombalgia tem uma duração menor, onde os quadros duram cerca de quatro a seis semanas podendo ser causadas por alguma lesão repentina ou por esforço físico excessivo durante um certo período, causando dores na lombar.

Lombalgia crônica: quando a lombalgia se torna um problema crônico, as dores são mais intensas podendo durar por mais de três meses, incapacitando o ser humano no seu desempenho diário.

Além disso, quando a lombalgia se torna crônica, o risco de desenvolver outros tipos de problemas relacionados à coluna, tornam-se bem maiores, podendo prejudicar o indivíduo para o resto de sua vida, caso não seja tratado devidamente.

Lombalgia ocupacional: atividades ocupacionais que exigem um levantamento de cargas excessivas ou muito tempo sentado, pode causar lombalgia.

As lombalgias ocupacionais, na maioria das vezes são crônicas podendo prejudicar suas atividades.

Quando uma pessoa possui lombalgia ocupacional, seu rendimento fica menor e o mau-humor aumenta conforme as dores vão aumentando.

Em todos os casos, é importante que o ser humano procure uma ajuda médica e pratique exercícios que auxiliam para a melhora deste caso clínico, realizando um bom tratamento da lombalgia, evitando assim que esta patologia se agrave.

Causas da lombalgia

A lombalgia pode ser causada por diversos motivos diferentes como:

  • Má postura;
  • Esforços repetitivos;
  • Excesso de peso;
  • Estresse e tensão;
  • Quedas;
  • Sedentarismo;
  • Pequenos traumas;
  • Condicionamento físico inadequado;
  • Praticar atividades físicas de maneira incorreta;
  • Osteoporose;
  • Obesidade;
  • Tabagismo;
  • Bico de papagaio;
  • Envelhecimento das vértebras;
  • Desgastes;
  • Desvios na coluna.

É importante estar atento as causas e procurar uma ajuda especializada no caso para que a patologia possa ser tratada corretamente.

Diagnosticando a Lombalgia

A lombalgia na maioria das vezes é diagnosticada através de um bom exame físico que consegue detectar os prováveis problemas do indivíduo.

Existem também exames complementares que auxiliam no diagnóstico como o raio X, ultrassom, tomografia computadorizada e ressonância magnética.

Para avaliar a lombalgia é necessário avaliar o histórico clinico como Idade, trabalho, esportes praticados, problemas com vícios como o tabagismo e excesso de peso.

Desta forma, a pessoa pode ser diagnosticada com eficácia, podendo realizar o tratamento correto de acordo com a sua patologia.

Pilates no tratamento da lombalgia

Quando uma pessoa possui lombalgia, ela acredita que ficar parado é o melhor remédio para evitar dores, porém ela está enganada.

Ao ser diagnosticado com lombalgia, um tratamento adequado de acordo com o caso é de extrema importância para uma melhora contínua, além disso, praticar atividades físicas também contribui para a melhora desta dor.

Uma das formas de reabilitar a lombalgia é através do Pilates, isso porque com seus exercícios, conseguimos fortalecer a musculatura estabilizadora da coluna lombar, multífidos e transverso do abdômen.

Além disso, ao praticar Pilates, colaboramos com a melhora da postura, contribuindo então com o fim da dor não só lombar, mas de toda a coluna vertebral.

O Pilates também auxilia para evitar futuras lesões, ou seja, uma vez reabilitado, as chances de voltar a ter dores na lombar são mínimas.

Independente da causa da lombalgia, ela normalmente se associa à incapacidade de estabilizar a coluna, por isso, ao realizar os movimentos do Pilates, estabilizamos a coluna e cooperamos para o fim deste problema.

Sendo assim, o Pilates é um ótimo aliado para o tratamento da lombalgia e outros problemas que podem acometer a coluna.

Benefícios do Pilates para o tratamento da lombalgia

Ao praticar Pilates para o tratamento da lombalgia, você garante diversos benefícios como:

  • Maior estabilidade da coluna;
  • Controle do movimento;
  • Melhora da postura;
  • Aumento da vitalidade física;
  • Melhora da percepção de si mesmo;
  • Aumento da força muscular.

Além disso, o Pilates garante também outros diversos benefícios como:

  • Aumento da flexibilidade;
  • Maior condicionamento físico;
  • Maior relaxamento do corpo e mente;
  • Reabilita não só a coluna, mais outros tipos de lesões que podem acometer o corpo;
  • Evita problemas emocionais;
  • Melhora a autoestima;
  • Aumenta o bem-estar;
  • Aumenta a resistência física;
  • Tonifica a musculatura;
  • Melhora a respiração;
  • Ajuda no controle de peso;
  • Melhora a qualidade do sono;
  • Aumenta a disposição;
  • Alonga todo o corpo.


Sendo assim, o Pilates é um Método que pode ser praticado por qualquer pessoa tanto para reabilitar, tanto para condicionar e fortalecer o corpo, ajudando o ser humano em várias ocasiões de sua vida.

A lombar é uma região que se encontra localizada na parte mais baixa da coluna vertebral e por carregar uma grande parte do peso corporal pode sofrer várias lesões gerando então a lombalgia.

O Pilates é um Método que auxilia constantemente no tratamento da lombalgia, isso porque seus movimentos garantem diversos benefícios ao indivíduo proporcionando reabilitação e condicionamento.

Sendo assim, podemos dizer que o Pilates é um grande aliado no tratamento da lombalgia beneficiando o praticante do Método não só para a reabilitação da mesma, mas também para a melhora de vida em geral!



sexta-feira, 15 de setembro de 2017

O QUE É FIBROMIALGIA? SAIBA MAIS SOBRE A DOENÇA DE LADY GAGA E COMO O PILATES PODE AJUDAR



Nesta última quinta-feira (14/09), a população brasileira foi bombardeada com a notícia do cancelamento do show da Lady Gaga, devido a um agravamento no seu caso de Fibromialgia.

Apesar de ter sido um caso muito comentado nos últimos dias, pouco ainda se sabe sobre esta doença que acomete a cantora e como a Fibromialgia pode afetar o corpo do ser humano.

Mesmo tendo um nome pouco conhecido, a Fibromialgia acomete centenas de pessoas causando diversos sintomas e prejudicando o indivíduo no seu dia-a-dia.

Pensando nisso, criamos este texto para que você possa conhecer um pouco mais sobre a doença que acomete a Lady Gaga, os seus principais sintomas e como o Pilates pode ajudar no tratamento da Fibromialgia.

O que é fibromialgia?


A palavra Fibromialgia vem do latim e do grego, onde “Fibro” é do latim e significa tecido fibroso, presente em ligamentos, tendões e fáscias e “Mio” vem do grego que quer dizer tecido muscular.

Para completar o nome, tem também o “Algos” que significa dor, e “Ia” que quer dizer condição.

Sendo assim, Fibromialgia quer dizer condição ou dor que afeta os tecidos fibrosos e ligamentos.

Em outras palavras, a Fibromialgia é uma doença reumatológica que tem característica principal a dor musculoesquelética difusa e crônica não inflamatória, que se manifesta no sistema músculo-esquelético.

Além disso, apesar desta patologia acometer principalmente as mulheres entre 35 e 50 anos, ela também pode ser diagnosticada em homens trazendo grandes problemas para os mesmos.

Quando uma pessoa possui esta patologia, ela pode sentir alguns sintomas como:

  • Sensação de fadiga;
  • Sono não reparador;
  • Rigidez muscular matinal;
  • Parestesias (sensações cutâneas como formigamento, calor ou frio);
  • Alterações no humor;
  • Dor generalizada;
  • Problemas de memória;
  • Problemas de concentração;
  • Dormência e formigamento;
  • Palpitações;
  • Redução na capacidade de se exercitar;
  • Problemas com depressão e ansiedade;
  • Dores de cabeça;
  • Tonturas;
  • Visão turva;
  • Dor torácica;
  • Perda de apetite;
  • Aumento da frequência urinária.

Sendo assim, a Fibromialgia pode acarretar diversos problemas dificultando a vida do ser humano no momento em que for realizar até as mais simples tarefas, por isso Lady gaga foi obrigada a cancelar seu show que iria realizar no Rock In Rio, no Rio de Janeiro.

O que pode causar a Fibromialgia


Apesar de as causas da Fibromialgia ainda serem desconhecidas, existem alguns fatores que podem causar a doença que acomete a cantora Pop e influenciar diretamente para o surgimento da mesma, sendo eles:

A genética: a Fibromialgia costuma a ocorrer em várias pessoas da mesma família, o que leva este fator como uma das possíveis causas da doença.

Algumas Infecções transmissíveis por vírus e doenças autoimunes também podem ser definidas como uma das possíveis causas da Fibromialgia.

Os problemas relacionados ao sono, sedentarismo, ansiedade e depressão também se encontram na lista das possíveis causas da Fibromialgia, acometendo o corpo do ser humano.

Desta forma, pode-se dizer que mesmo sem uma causa específica, existem fatores de risco que podem levar à Fibromialgia, sejam elas genéticas ou até mesmo emocionais.

Diagnosticando a Fibromialgia

O diagnóstico da Fibromialgia é feito quando a pessoa apresenta os sintomas da doença por mais de três meses consecutivos

Quando o indivíduo procura uma ajuda médica, são realizados exames onde, o médico palpa 18 pontos anatômicos (regiões específicas do corpo) e, caso o paciente relate algum tipo de dor em pelo menos 11 destes pontos, será caracterizado como uma pessoa que possui Fibromialgia.

A partir do momento em que a pessoa é diagnosticada com a doença, é importante que ela pesquise mais sobre esta patologia e realize um bom tratamento para que o problema seja reparado o quanto antes.

Ter um acompanhamento multidisciplinar será muito importante para a melhora da patologia e principalmente para evitar futuros problemas relacionados a mesma.

Além disso, o tratamento da Fibromialgia tem como objetivo principal controlar a dor e melhorar a qualidade de vida.

Fibromialgia foi motivo de cancelamento do show de Lady Gaga

A fibromialgia como já visto anteriormente, é uma doença que causa muitas dores no corpo, além de comprometer também a mente daqueles que a possuem.

Foi por conta deste problema que a cantora pop teve que cancelar seu show que seria realizado no dia 15/09 no Rio de Janeiro.

Nos últimos dias, Gaga já estava com alguns sintomas relacionados à doença, porém por conta da piora de seu quadro, ela foi obrigada a abandonar sua participação no Rock in Rio, levando diversos fãs ao desespero.

Pelas Redes sociais, ela disse sofrer de Fibromialgia e declarou-se devastada por não poder participar do evento:

“Brasil, estou devastada porque não estou bem o suficiente para ir ao Rock in Rio. Eu faria qualquer coisa por vocês, mas eu tenho que cuidar do meu corpo agora. Peço pela bondade e compreensão de vocês, e prometo que vou voltar e cantar para vocês em breve. Me desculpem e eu amo muito vocês”, declarou Gaga.

Para cuidar deste problema, a cantora submeteu-se a um tratamento que será realizado por especialistas no caso para que suas dores sejam aliviadas e ela possa voltar ao seu trabalho.

Por isso, um bom tratamento para o caso é muito importante para a melhora da Fibromialgia.

Pilates para o tratamento de pessoas com Fibromialgia

O Pilates é um Método que auxilia para a melhora constante do ser humano, podendo ser praticado para diversas finalidades.

Uma dessas finalidades do Pilates muito utilizado nos Studios é a reabilitação, onde através do Método, a pessoa pode reabilitar não só o seu corpo, mas também sua mente, promovendo uma melhora de sua saúde e bem-estar.

Ao ser aplicado para pessoas que possuem Fibromialgia, o Pilates pode garantir diversos benefícios, ajudando no tratamento e melhorando a capacidade do indivíduo que se encontra com a doença.

O Pilates ajuda para o tratamento da Fibromialgia através dos exercícios de alongamento que geram alivio não só para os músculos, mas também para as articulações que encontram-se rígidas por conta da dor.

Desta forma, ao realizar os exercícios do Método focados para o objetivo de tratar a Fibromialgia, a liberação muscular e das articulações ajudam a deixar o corpo com uma sensação mais leve, ajudando no alívio da dor.

Além disso, os alongamentos irão auxiliar também no aumento do equilíbrio e da coordenação motora promovendo um melhor condicionamento.

O Pilates irá atuar também no ganho de tônus muscular que é algo que as pessoas com a patologia necessitam.

Porém é importante lembrar que o trabalho de força realizado para a melhora desta doença deve ser bastante minucioso e com muito cuidado. Todos os exercícios devem ser feitos moderadamente e em uma intensidade baixa para que o indivíduo possa tratar e não piorar o seu problema.

Os benefícios do Pilates para quem possui Fibromialgia

Mas afinal de contas, quais são os benefícios que o Método Pilates proporciona para pessoas que possuem Fibromialgia?

Além de melhorar a dor causada pela doença, o Pilates auxilia para a melhora de outros aspectos como:

  •  Relaxamento do corpo;
  • Melhora da respiração;
  • Melhora da qualidade do sono;
  • Diminuição das dores de cabeça;
  • Evita futuras lesões;
  • Melhora da postura;
  • Colabora para o desenvolvimento motor;
  • Melhora das condições emocionais como a ansiedade e a depressão;
  • Aumento da flexibilidade do corpo;
  • Tonificação dos músculos;
  • Aumento do equilíbrio;
  • Melhoria do bem-estar.
  • Por isso, podemos então dizer que o Pilates associado com um bom tratamento médico, pode garantir diversos benefícios para pessoas que possuem Fibromialgia.


Concluindo

A fibromialgia é uma doença que pode acometer qualquer pessoa, inclusive os famosos como foi o caso da Lady Gaga.

Em todos os casos, é muito importante realizar um bom tratamento, pois com o tempo este problema pode dificultar até mesmo nas tarefas mais simples do dia-a-dia.

Conciliar o tratamento médico com as aulas de Pilates, podem ser muito beneficiadores para pessoas que enfrentam este problema com a Fibromialgia.

Desta forma, cuidar-se também inclui praticar Pilates, até porque os benefícios adquiridos pelo método podem ajudar (e muito) em qualquer fase da vida!



PÓS OPERATÓRIO EM CIRURGIAS PLÁSTICA


O segredo de um bom resultado
Depois de uma intervenção cirúrgica o corpo entra em uma fase reparadora. As regiões do corpo que sofreram a cirurgia necessitam de maior quantidade de nutrientes, oxigênio e células imunológicas para se restabelecerem. Para isso a circulação nessas regiões aumenta e os vasos despejam maior quantidade de líquido formando o edema (inchaço) pós-cirúrgico. Se em um primeiro momento toda essa fisiologia parece ajudar o corpo, sua permanência prolongada acaba tornando-se um empecilho para a cicatrização e acomodação dos tecidos. 
A DRENAGEM LINFÁTICA MANUAL é uma massagem que visa através de movimentos suaves e lentos retirar o excesso de liquido presente entre os tecidos.

Quando começar a Drenagem Linfática?
A Drenagem pode ser realizada como preparação para a cirurgia, uma vez por semana no mês que precede a cirurgia, para garantir uma melhor nutrição cicatricial e aumento imunológico do paciente. Após a cirurgia a drenagem pode ser feita 24 horas após o procedimento dependendo do tipo da cirurgia. A Drenagem Linfática é diferente para cada fase pós-operatória em que a paciente se encontra. As primeiras 10 sessões podem ser realizadas diariamente, diminuindo para 3 vezes por semana as demais. Em conjunto com as drenagens linfáticas são realizadas sessões de ultra-som para aumentar a absorção dos hematomas e prevenir as fibroses.

O que são fibroses?
As fibroses são cicatrizes internas aonde foram realizadas lipoaspiração. O organismo responde ao processo inflamatório enviando inúmeras células reparadoras ao local, assim com o decorrer dos dias essa região começa endurecer se não forem realizados os procedimentos pós-operatórios necessários. Os hematomas desidratam, mas os coágulos se mantêm na região aumentando as chances de fibroses. Realizando drenagem linfática 24 horas após a cirurgia e usando Ultra-som nas regiões aonde já observa grande acúmulo de hematomas diminuem consideravelmente o aparecimento das fibroses. 
Após a primeira semana o edema começa e diminuir e as fibroses ficam mais evidentes sendo necessário tratá-las o mais rápido possível.

Segredos para um bom resultado da lipoaspiração.
Realizar sessões diárias de fisioterapia pós-operatória, comprimir corretamente o local do corpo aonde foi realizado lipoaspiração com cintas elásticas bem ajustadas sem qualquer dobra ou “garrote”, fazer os repousos indicados pelo médico, tem uma alimentação saudável e nutritiva e ingerir muito liquido como água de coco, hipertônico e água.

Qual profissional está habilitado a realizar esses tratamentos?
Existem diversos métodos de Drenagem, mas a aplicação em pós-operatório é muito diferente da tradicional, existem regiões que não podem ser trabalhadas. As fases de recuperação devem ser respeitadas e algumas manobras não podem ser aplicadas. O profissional de fisioterapia está melhor habilitado pelo conhecimento anátomo-fisiológico do corpo humano. Mas deve se capacitar com cursos de formação específicos após a Graduação.
A falta de conhecimento e técnica de alguns profissionais acaba desestimulando os cirurgiões de encaminharem precocemente seus pacientes deixando para depois de 30 dias. Neste caso, acabam-se perdendo um tempo valioso de recuperação que impediria a formação de seromas e fibroses, complicações pós-cirúrgicas que demandam maior tempo de tratamento pós-operatório. Com os nossos atendimentos no dia logo após a cirurgia as pacientes têm relatado: melhor conforto, menos tempo de dor, já observam em 10 dias uma redução de até 12 centímetros nas medidas. Voltam antes às atividades diárias porque não apresentam sérias complicações.

Quais os efeitos da Drenagem Linfática Manual?
A drenagem proporciona: aumento da absorção de líquidos, diminuição do edema, melhora a hidratação e nutrição celular, cicatrização mais rápida, melhor absorção dos hematomas, ativação do sistema imunológico, melhor regeneração dos tecidos, relaxamento e aumento do fluxo urinário.
Realizar drenagem em procedimentos como lipoaspiração são importantes para não deixar a pele com aderência e aspecto de “casca de laranja”, igual a uma celulite. Evitar as fibroses que comprometem a movimentação muscular e a beleza estética

Por quanto tempo a drenagem é realizada?
Vai depender sempre da quantidade de edema (inchaço) que a paciente desenvolve no pós-operatório. Pessoas com tendência a retenção hídrica geralmente incham mais, são essas pessoas que devem receber drenagem antes da cirurgia. Na lipoaspiração tem se realizado 20 a 30 sessões de drenagem, em abdominoplastia 30 sessões e prótese mamária 5 sessões. Além da drenagem existem os tratamentos conjuntos para cicatrizes e fibroses. O número de sessões pode variar segundo complicações que podem aparecer como hipertrofia cicatricial, fibroses e seromas. O seu médico deverá sempre ser consultado quanto a alta dos tratamentos pós-operatórios.

Agende uma avaliação gratuita na Fisiobeauty, pelo telefone ou what's up 51 981818384

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Drenagem Linfática Pós-cirúrgica



Tratamento para melhor recuperação após cirurgia plástica, lipoaspiração, abdominoplastia, silicone, lifting, blefaroplastia e outras.
O pós-operatório bem feito é essencial para o bom resultado de uma cirurgia.

Muitas pessoas já sabem que após fazer uma lipoaspiração, muitos médicos indicam a famosa massagem de drenagem linfática.

Mas nós não estamos só falando de lipoaspiração e lipoesculturas. Muitas outras cirurgias estão nesta lista, como:

  • abdominoplastia e outras plásticas corporais, 
  • cirurgia de mamas como colocação de próteses de silicone, 
  • cirurgias faciais como lifting facial, 
  • cirurgia de pálpebras (a blefaroplastia), 
  • cirurgias reparadoras,
  • lipoescultura e lipoaspiração (lipo) e outras. 

As cirurgias corporais e faciais passam por algumas fases no pós-operatório:

Logo após a cirurgia é normal o aparecimento de inchaço e hematomas. O tratamento pós-operatório  consiste exatamente na diminuição destes edemas, na ativação da circulação, que diminui nos primeiros dias após a cirurgia, na oxigenação do tecido operado e na prevenção de fibroses.

Inicialmente são indicadas sessões de drenagem linfática e ultrassom, para diminuir edemas e ativar a circulação e oxigenação.

O inchaço diminui numa segunda fase, mas ainda permanece, mesmo que com uma intensidade menor, onde também pode ocorrer o início da fibrose e  o aparecimento de ondulações e enrijecimento no local operado. Nesses casos indicam-se além de drenagens linfáticas e ultrassom, sessões de endermologia para os casos de cirurgias corporais.

As consequências das cirurgias diminuem gradativamente porém não se deve interromper o tratamento nesse ponto. Nesse último momento, também pode ocorrer flacidez. Todos esses efeitos podem ser minimizados com o uso de equipamentos de ponta, como radiofrequência, eletroestimulação, Manthus, etc

Inicie seu tratamento pós-cirúrgico assim que seu médico liberar!

Em geral são indicadas de 10 a 20 sessões de drenagem linfática com ultrassom nesta primeira fase após a cirurgia, mas quem deve avaliar a necessidade de mais ou menos sessões é o seu médico e fisioterapeuta, conforme a evolução do seu pós-cirurgico. 

O ultrassom auxilia o processo de cicatrização, melhora a circulação sanguínea, aumenta a elasticidade da pele e ajuda a diminuir a dor.

A massagem de drenagem linfática é uma  massagem leve, que não causa dor. É exercida uma pequena pressão com os dedos, ou com as mãos, conforme a região do corpo. A pressão exercida segue sempre o sentido fisiológico da drenagem, ou seja, dos membros em direção ao corpo, ajudando os líquidos a seguirem o caminho linfático.

Esses procedimentos aceleram a recuperação,  evitam a fibrose, eliminam líquidos que causam inchaço e edemas, atenuam as cicatrizes e reestabelece a pele, devolvendo mais rapidamente a sua tonacidade natural.

Confira nossos tratamentos separadamente:

Ultrassom

Além disso, não deixe de seguir as recomendações médicas de não fumar, evitar consumir álcool, ingerir muito líquido, tomar os analgésicos e antiinflamatórios prescritos. Em muitos casos é necessário usar cinta compressora (de 1 a 3 meses), evitar roupas muito justas pelo menos no primeiro mês e o mais importante, sempre tirar suas dúvidas e seguir as orientações de seu médico, lembrando que cada pessoa tem uma recuperação muito individual: uns tem mais dores que outros, mais ou menos inchaço e hematomas, a sensibilidade diferente, por isso o tratamento pós cirúrgico pode variar de caso para caso.

 Agende uma avaliação estética gratuita pelo telefone  ou what's up (51) 981818384

Conheça o que a Fisiobeauty tem para oferecer nos tratamentos pós-cirurgia plástica, pós-lipoescultura, pós-lipoaspiração, pós abdominoplastia, pós-blefaroplastia, pós-cirurgia de mama, pós-lifting facial, entre outras.



quinta-feira, 31 de agosto de 2017

EVITE DESGASTES ARTICULARES CUIDANDO DA POSTURA



Uma musculatura abdominal fraca pode facilitar o desenvolvimento de alterações na coluna vertebral e vícios posturais, que podem interferir na biomecânica da coluna vertebral, muitas vezes comprometendo a independência funcional do indivíduo e a qualidade de vida.

Os vícios posturais podem levar a encurtamentos musculares, dores, espasmos e tensões nos ligamentos e nas articulações, além de compressão nervosa e uma série de outros problemas. As posições desalinhadas que adotamos podem parecer inofensivas, mas, são esses hábitos que prejudicam a postura e nos causam problemas articulares. Os cuidados com o alinhamento postural contribuem para uma melhor qualidade de vida, evitando processos de desgastes articulares, dores, inflamações e disfunções biomecânicas.

O Pilates entra como um ótimo recurso para eliminar e tratar as alterações posturais e desgastes causados por vícios posturais por trabalhar o alongamento e alinhamento corporal, além de trabalhar coordenação motora e aliviar dores causadas pela má postura.

O método possibilita vários benefícios ao praticante, desde o aprimoramento da resistência à fadiga ao alinhamento corporal, através de exercícios de fortalecimento muscular que exigem concentração e atenção do praticante, priorizando o trabalho constante da musculatura abdominal.

Em poucas aulas já podemos observar uma melhora e correção da postura e alongamento da musculatura, desenvolvendo uma maior flexibilidade e estabilidade corporal necessária para uma vida mais longa e saudável. Visamos também o fortalecimento e o trabalho corporal global, associando em cada movimento o máximo possível de grupos musculares, trabalhando o corpo como um todo.

Os resultados da prática dos exercícios de Pilates individualizados, com instrutores devidamente capacitados, uma boa avaliação e escolha dos exercícios adequados tem se mostrado cada vez mais animadores, tornando o método um eficiente recurso para reabilitação, treinamento, prevenção e o retorno à prática de uma atividade física.

Fonte: Revista Pilates

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

ALÍVIO DO ESTRESSE COM RELAXAMENTO MUSCULAR



Inúmeras   vezes   os   clientes   cancelam   a   pratica   de atividades físicas devido a dores musculares e desconfortos gerais. Precisamos ouvir o nosso corpo e respeitar as mensagens que ele nos envia, esta é umas conversações mais importantes que se pode ter.

Como identificar a origem desses desconfortos

Será pelas horas prolongadas de posição incorreta, sentado ou pé?

Será por movimentos repetitivos, estresse e carga emocional?

As tensões não podem ser só musculares, a tensão nervosa acompanha, conduz a tensão muscular. As tensões podem estar  carregadas  das  percepções  “do  corpo  vivendo”, assim,  na  memoria  todas  as  experiências  passadas  do corpo se enriquecem com a experiência presente. (S.PIRET– M.M. BEZIERS)

Existe uma forte conexão entre o estresse e alguns desconfortos musculares.

O estresse causa a liberação de hormônios que  também causam tensão muscular e aumentam a percepção da dor, como  o cortisol  e  o  adrenocorticotrópico  (ACTH)  que estimula a produção de adrenalina.

Os músculos podem ser tensionados ao ponto de levar a um doloroso quadro de espasmo muscular. Os músculos das costas e do pescoço são particularmente os mais sensíveis aos efeitos do estresse. Em algumas pessoas o músculo trapézio recebe uma carga elevada de tensão muscular, como se estivesse “pendurado em um cabide”, ombros elevados e tensos.

Outro exemplo é a dor ciática, que pode tornar-se muito maior quando a pessoa se sente estressada.

Musculaturas sensíveis a hormônios como o cortisol podem ser facilmente afetadas e inicia facilmente um ciclo vicioso, o estresse causa tensão muscular, levando à dor, que por sua vez aumenta a tensão muscular e pode aumentar ainda mais o estresse.

Essas  tensões  fazem  com  que  as  pessoas comecem  a perder a qualidade de movimentos nos afazeres do dia-a-dia.

Através do Método Pilates, podemos aliviar o estresse e reduzir a dor que é agravada ou causada pela tensão muscular. O Pilates trabalha o corpo como um todo de forma integrada, melhora a circulação, ajuda a eliminar as toxinas   do   corpo,   levando   ao   alívio   das   condições provocadas pelo estresse através do relaxamento muscular. Quando realizado regularmente pode ajudar no controle do estresse e na origem desses desconfortos, permitindo fazer os movimentos do dia a dia com facilidade e harmonia.

Agende uma aula experimental gratuita!!

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Pedalar com a postura errada pode trazer problemas para a coluna, joelhos e quadril



A bicicleta é a opção de muitos para a prática esportiva ou para enfrentar o trânsito, cada dia mais caótico. Mas é preciso alguns cuidados para garantir que a saúde do corpo seja mantida. Erros posturais e a má regulagem da bicicleta podem ocasionar lesões na coluna, nos joelhos e até no quadril.

Os problemas na patela, tendinite nos joelhos e no tendão do calcâneo são os mais comuns, mas os ciclistas também podem sentir dores no pescoço, na coluna, ao redor dos ombros e na região do músculo do trapézio.

“Para evitar as dores e as lesões, o ciclista deve manter a postura correta durante a atividade. É indicado ficar com as costas eretas e evitar o excesso de tensão nos braços, a cabeça deve estar alinhada com a coluna”, explica o especialista em joelho, quadril e esporte, Dr. Thiago Fukuda.

Pedalar com postura errada prejudica os joelhos e causa sobrecarga, podendo ocasionar sobrecarga aos tendões dos membros inferiores. O stress membros superiores também pode ocasionar lesões nos ombros e pescoço, sem deixar de citar o excesso de flexão do quadril que pode levar a impacto femoroacetabular. “O ideal é que o ciclista esteja sempre atento a sua postura enquanto pedala e que em caso de dúvidas consulte um profissional especializado para receber orientação”, ressalta Fukuda.

Acertando a bicicleta

O correto posicionamento dos módulos da bicicleta é fundamental para evitar os riscos à saúde do ciclista. Veja algumas dicas de como posicionar corretamente a “magrela” antes de sair pedalando por aí.
– Para acertar a altura do assento, o ciclista deve ficar em pé, ao lado da bicicleta, e posicionar o assento na altura do seu quadril. Isso garante a melhor posição de acordo com a altura.
– Verificar se o pedal está firme, um pedal frouxo pode causar stress no tornozelo.
– Nunca se esquecer de utilizar os equipamentos de segurança. O capacete pode evitar graves lesões em caso de quedas ou batidas.

Para quem está iniciando a prática, a avaliação física pré-esportiva é fundamental. Ao sentir dores ou ter inchaço, o ciclista deve procurar um clínico pois continuar praticando a atividade sem consultar um especialista pode provocar lesões mais graves.

Atenção! O excesso de pedaladas pode causar tendinites no joelho


Cada vez mais os paulistanos estão trocando os carros, ônibus, metrô pelas bicicletas para ir ao trabalho, uma vez que as ciclovias vêm aumentando em São Paulo. Apesar de reconhecermos que andar de bicicleta faz bem à saúde e ao meio ambiente, é importante ficar atento em relação aos cuidados na hora de pedalar para não sofrer uma lesão por sobrecarga no joelho.

Quem anda de bicicleta de forma inadequada corre mais risco de sofrer tendinites no joelho e problema na articulação femoropatelar. Isso ocorre devido ao ajuste inadequado da bicicleta e treinamento excessivo ou inadequado. A tendinite é uma inflamação que acomete os tendões, que são estruturas localizadas entre os músculos e os ossos.  Entre os principais tendões acometidos na região do joelho estão o tendão patelar, tendão do músculo poplíteo e da pata de ganso. É possível desconfiar da tendinite no joelho quando sentir dor e uma hipersensibilidade no tendão. Esses sintomas podem piorar conforme o indivíduo se movimente. A dor também pode aparecer atrás dos joelhos ou no lado de dentro.

Na presença dos sintomas, é importante consultar um médico para fazer exames. O especialista pode pedir para o paciente correr, saltar ou agachar para analisar a intensidade da dor. Exames como ultrassonografia, ressonância magnética, entre outros podem auxiliar.

O tratamento pode ser conservador por meio de medicamentos para diminuir a inflamação ou em alguns casos a fisioterapia pode ser indicada para restaurar a função do músculo e a biomecânica do membro inferior. O laser e a terapia combinada podem ser excelentes coadjuvantes no tratamento associado aos exercícios.