quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

PILATES: UM QUEBRA-CABEÇA COM RESULTADO PRAZEROSO


PILATES UM QUEBRA-CABEÇA COM RESULTADO PRAZEROSO_post
A primeira referência que me ocorre quando penso em Pilates é o quanto este método de condicionamento físico, mental e de reabilitação me proporciona prazer em trabalhar. Além disto, observo os alunos, quase que diariamente, relatarem bem-estar, prazer e motivação na prática do Pilates. Eles declaram que a diversidade é um dos fatores que mais os motiva. É sempre algo novo!
Entendo que a criatividade seja essencial ao instrutor de Pilates, apesar de o método possuir um repertório diversificado de exercícios tanto no solo, quanto nos aparelhos específicos. Podemos criar atividades com base na necessidade e no objetivo do aluno, o que é democrático e fascinante. Criar não é modificar o exercício na sua essência, mas adaptá-lo, diversificá-lo, respeitando assim individualmente as fases de aprendizagem motora e a aprendizagem dos princípios do método.
Desta forma, é possível:
  • Criar a melhor posição inicial;
  • Inserir acessórios que auxiliem o aluno;
  • Variar a forma de instrução, buscando uma linguagem adequada ao contexto do aluno (trabalho, hobby, etc.);
  • Proporcionar uma nova posição ou forma de relaxamento ao final da aula;
  • Elaborar um exercício a partir do repertório original para aqueles que já estão aplicando os princípios do método de forma consciente e autônoma.
Mas vocês devem estar se perguntando o que quero dizer ao me referir ao Pilates como um quebra-cabeça. Quando observo a sala de Pilates, vejo que as peças (os aparelhos) se encaixam perfeitamente e os acessórios, quando sobrepostos, formam outro acessório que se “encaixa” nos aparelhos.
Da mesma forma, podemos pensar que a atividade física é um grande quebra-cabeça se considerarmos todas as variáveis necessárias para a prescrição de um treinamento como, por exemplo, a individualidade biológica, a especificidade, a relação “volume x intensidade”, a progressão de carga, a supercompensação e a frequência da prática. O sucesso na finalização do quebra-cabeça depende da aderência do aluno ao programa de exercício, que, por experiência, percebo depender muito do prazer, de um ambiente humanizado e da confiança e cumplicidade com o professor.
Que tal pensarmos nos princípios do treinamento físico, acima citados, adaptados ao quebra-cabeça Pilates?
Pilates é um treinamento resistido, de resistência muscular e força (concêntrica, excêntrica e isométrica); portanto, é uma atividade física anaeróbia, cuja principal fonte energética é o carboidrato e a gordura. Com a prática, há uma aceleração no metabolismo, substituindo a gordura por massa corporal magra, que assim tonifica e modela o corpo. Quanto à especificidade, cito exercícios que envolvem atividade vida diária e mimetização de gestos esportivos. A progressão de carga levará em consideração as fases da aprendizagem motora e dos princípios do método.
A relação “volume x intensidade” considera que um exercício mais intenso (como de força isométrica) terá menos repetições (6 a 8), e que um exercício de fortalecimento/mobilização de membros inferiores ou superiores haverá mais repetições (10 a 15). A supercompensação nos faz lembrar a importância da recuperação, levando-nos a informar ao aluno a importância do descanso e do intervalo entre os dias de prática.
Busquemos cada vez mais conhecimento para que possamos estabelecer relações entre áreas afins, tornando, assim, o método Pilates mais inserido no meio científico brasileiro.
É desejável que nós, instrutores, tenhamos muita criatividade e que cada vez mais pessoas pratiquem Pilates, visualizando ao final da aula um quebra-cabeça construído com motivação, autoestima, bem-estar e prazer!


Fonte: http://www.pilatesemevidencia.com.br/pilates-um-quebra-cabeca-com-resultado-prazeroso/


PILATES AJUDA A MANTER O PIQUE NO CARNAVAL



PILATES AJUDA A MANTER O PIQUE NO CARNAVAL_post
O carnaval está chegando e muita gente já está com as fantasias e os abadás em mãos para curtir os quatro dias de festança. Mas é preciso estar preparado para aguentar o pique de tanta diversão e, em seguida, encarar a rotina de trabalho, casa, família, escola…
O ideal para o grupo dos sedentários é que se inicie um programa aeróbio, de leve a moderado, para não ter que voltar para casa antes da hora. Quem já está acostumado com a prática de exercícios, deve intensificar o treino e complementar com aulas de resistência muscular e flexibilidade.
Que o diga Daniela Mercury, que vai passar 7 horas diárias em cima do trio elétrico. Para garantir o fôlego, a artista mudou os hábitos no período que antecede a folia. Ela conta com a ajuda de um profissional para construir uma série de exercícios adequada ao tempo que tem disponível no período pré-carnaval e busca incluir Pilates em sua rotina.
“Sou bailarina desde menina, por isso sempre tive uma consciência corporal bem apurada. Exercícios, dança, coreografias e preparação para espetáculos sempre fizeram parte da minha vida. A dança ajudou a disciplinar o meu corpo. Há alguns anos, incluí o Pilates na minha rotina e isso contribuiu para melhorar a minha postura e também para me dar mais resistência”, disse a cantora em entrevista à Revista Caras.
“Tento manter uma dieta equilibrada, que inclui frutas, legumes e bastante água. Adoro doces, mas tento evitar. Faço também o possível para manter frituras longe do meu cardápio”, completa Daniela.
Os treinos devem ser acompanhados de uma dieta especial nesse período preparatório. Uma das medidas é evitar alimentos gordurosos para não sobrecarregar o fígado e não ter sonolência. A saída é dar preferência para carnes magras, legumes, frutas e carboidratos integrais.
É recomendável também evitar café e bebida alcoólica, principalmente de estômago vazio, e caprichar na água mineral, água de coco e suco de frutas naturais para manter o corpo hidratado. Vale lembrar que manter o sono mais próximo do adequado também ajuda a ter disposição para enfrentar a maratona carnavalesca.
Fonte: R. Pilates




www.fisiobeautypilates.com.br

PILATES NO AUXÍLIO AOS DESVIOS DE COLUNA


As posições desalinhadas que as pessoas adotam como hábito, seja por motivos anatômicos ou falta de condições ergonômicas adequadas, desrespeitam o posicionamento adequado das articulações. Isso resulta nos chamados desvios posturais, alterações na cifose e na lordose, que são as curvaturas normais da coluna. As principais alterações posturais da coluna vertebral são: escoliose, hipercifose e hiperlordose.
PILATES NO AUXÍLIO AOS DESVIOS DE COLUNA_post
A escoliose se define como uma curvatura lateral da coluna. Do ponto de vista da anatomia humana, a coluna possui curvaturas no sentido anteroposterior (cifose e lordose), deste modo uma curvatura no sentido lateral é considerada anormal, caracterizando a escoliose.
A hipercifose corresponde a um aumento anormal acentuado da curvatura torácica, apresentando um aspecto de “corcunda”. A hiperlordose é o aumento da curvatura da região lombar ou cervical. A hiperlordose cervical faz com que a cabeça vá para frente e normalmente está associada à hipercifose torácica. Já no caso da hiperlordose lombar ocorre uma proeminência dos glúteos para trás, deixando o aspecto de “bumbum empinado”.
A prática de Pilates tem sido uma das mais indicadas pelos médicos no tratamento de diversas patologias osteomusculares, incluindo estes problemas posturais, pois seus exercícios estão concentrados na casa de força formada pelos músculos transversos do abdome, multífidos, diafragma, oblíquos e músculos do assoalho pélvico. A ativação desta casa de força traz harmonia entre as curvaturas espinhais, refletindo na eficiência do equilíbrio corporal, na postura e no trabalho muscular. Contribuindo para uma organização melhor da coluna vertebral e extremidades.
O estimulo à consciência corporal, o reposicionamento da pelve na posição neutra e o reequilíbrio muscular e postural que o Pilates promove dará o suporte necessário para manter a coluna ereta e sem sobrecargas.
Fonte: Gnt